Sobre compras no exterior e os impostos…

Ontem, 28 de março de 2011, o governo publicou no Diário Oficial da União o aumento do IOF (imposto sobre operações financeiras) nas compras internacionais com cartão de crédito. Muita gente já sabe e muita gente já reclamou mas por traz disso existe um montão de coisas que nós raramente pensamos.

Li no twitter (segue eu ae @glamforall) muita gente reclamando, dizendo que o governo queria arrecadar mais dinheiro e tal. Não há dúvidas que com isso o governo irá sim arrecadar mais em impostos mas o que muita gente esquece é que com a desvalorização do dólar vem junto uma série de problemas, não só para os americanos, mas para o mundo todo. Com essa desvalorização do dólar, fica ainda mais barato consumir produtos importados ( e a gente sabe que esse consumo aumenta mesmo) e com isso o produto nacional perde mercado, o Brasil perde dinheiro e com tudo isso vem crises internas como aumento de desemprego e uma série de outros problemas.

Voltando, o aumento do IOF passou de 2.38% para 6,38% . Fazendo as contas, pra uma compra de 1000,00 reais antes pagariamos 23,80 de impostos e com o novo valor passaremos a pagar 63,80 reais de imposto. Uma facada né.. Tudo isso, repito, na tentativa de diminuir as importações e consequentemente valorizar o produto nacional.

Acontece que, mesmo com esse aumento, ainda pode ser mais lucrativo comprar fora, pois um mesmo item comprado lá fora pode custar um terço do valor de um similar adquirido no Brasil, considerando-se a importação regular e com o pagamento de todas as taxas. O cálculo foi feito pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio do Estado de São Paulo).

Em um exemplo, a federação mostra que importar de forma regular um relógio de US$ 210 tem um custo final de R$ 746,60 para o consumidor, enquanto que comprá-lo em um grande shopping de São Paulo sairia por R$ 2.600. A conta para chegar aos R$ 746,60 considerou os seguintes elementos:

  • R$ 350,70 – custo do relógio (US$ 210)
  • R$ 22,37 – IOF (6,38%)
  • R$ 210,42 – Imposto de Importação de 60% (cobrado no ingresso do produto no país)
  • R$ 63,12 – ICMS (18% no Estado de São Paulo)
  • R$ 60,00 – Frete (DHL)
  • R$ 40,00 – Desembaraço alfandegário

A Fecomercio disse que os diferenciais de preços entre produtos vendidos no Brasil e no exterior são muito maiores do que os quatro pontos percentuais de aumento do IOF.

“A Fecomercio não duvida que, mesmo pagando mais impostos, o consumidor não deixará de importar”, disse em nota.

A mudança é válida tanto para compras realizadas lá fora quanto para compras realizadas via internet.

Enfim, fiz esse post porque muita gente ficou sabendo mas não entendeu bem o anuncio de aumento e também porque tem muita gente que ainda não está sabendo e pode ter uma surpresa ao receber a fatura de seu cartão de crédito.

Anúncios

O que você achou do post?

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s